Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufpel.edu.br:8080/handle/123456789/2314
Tipo: Dissertação
Título: . Influência de baixas temperaturas sobre aspectos bionômicos de Musca domestica (Linnaeus, 1758) (Diptera, Muscidae) e Chrysomya megacephala (Fabricius, 1794) (Diptera, Calliphoridae)
Título(s) alternativo(s): Influência de baixas temperaturas sobre aspectos bionômicos de Musca domestica (Linnaeus, 1758) (Diptera, Muscidae) e Chrysomya megacephala (Fabricius, 1794) (Diptera, Calliphoridae)
Autor(es): ROSENTHAL, Luciane D'avila
Resumo: Sobrevivência, longevidade e aspectos reprodutivos dos dípteros estão relacionados a fatores bióticos, abióticos e a interação entre eles. A temperatura, por exemplo, influencia diretamente a velocidade e taxas de desenvolvimento, o comportamento, a alimentação, a fecundidade, a dispersão, o potencial reprodutivo e o número de indivíduos de uma população. Diante disto, o objetivo deste trabalho consistiu em verificar a influência da estocagem de muscóideos adultos de Musca domestica e Chrysomya megacephala a baixas temperaturas (5 e 10°C), mediante a análise dos aspectos bionômicos sobrevivência, longevidade, número médio de ovos.fêmeas-1 e viabilidade (%) de ovos. O experimento foi realizado no Laboratório de Biologia de Insetos, da Universidade Federal de Pelotas, e para a realização foram mantidas colônias de ambas as espécies, pré-estabelecidas às condições laboratoriais (temperatura 25+2°C; umidade relativa 70+10%; fotoperíodo de 12 horas). Foram selecionados ao acaso 15 casais/espécie/repetição, e acondicionados em frascos de vidro, totalizando três repetições/tratamento. Todas as repetições foram simultaneamente acondicionadas em câmara de desenvolvimento biológico (B.O.D.) nas temperaturas de 5, 10 e 25+2°C (controle), constituindo o Fator A (temperaturas controladas de condicionamento de adultos). Os dípteros eram retirados das B.O.Ds. aos 7, 14, 21, 28, 35 e 42 dias, constituindo o Fator B (tempo de exposição de adultos em B.O.D.), procedendo-se a quantificação e o acondicionamento em gaiolas, dos respectivos sobreviventes a temperatura de 25+2°C, até a morte do último díptero, analisando a longevidade, o número médio de ovos.fêmeas-1 e a viabilidade (%) de ovos. Os resultados foram submetidos à análise estatística, com a finalidade de observar se cada temperatura controlada de condicionamento de adultos era limitante dentro de cada tempo de exposição de adultos em B.O.D. Desta maneira pode-se inferir que a utilização de baixas temperaturas (5 e 10ºC), como forma de reduzir as taxas metabólicas e o desenvolvimento destes insetos na fase adulta, foi uma estratégia que interferiu sobre os aspectos bionômicos analisados para as duas espécies em estudo. Como conclusões: A temperatura controlada de exposição de adultos 5ºC inviabiliza a criação de C. megacephala; A utilizaçao de baixas temperaturas de condicionamento (5 e 10ºC) é uma estratégia que interfere negativamente sobre a sobrevivência de adultos (femeas + machos), sobrevivência de fêmeas, sobrevivência de machos, a longevidade, o número médio de ovos.fêmeas-1 e a viabilidade de ovos de M. domestica e C. megacephala, quando comparadas a temperatura de 25+2ºC; O tempo de exposição de adultos de M. domestica e C. megacephala em B.O.D. por 7 dias, permite a ocorrência de sobrevivência total (fêmeas + machos), sobrevivência de fêmeas, sobrevivência de machos, a longevidade, o maior número médio de ovos.fêmeas-1 e viabilidade de ovos; O número de sobreviventes fêmeas adultas de M. domestica expostas a baixas temperaturas de condicionamento (5 e 10ºC) é numericamente mais expressivo, que o número de machos sobreviventes.
Abstract: Survival, longevity and reproductive aspects of the flies are related to biotic, abiotic and interaction between them. The temperature, for example, directly influences the speed and rate of development, behavior, feeding, fecundity, dispersal, reproductive potential and the number of individuals in a population. Given this, the objective of this study was to determine the influence of storage muscoidea adults of Musca domestica and Chrysomya megacephala at low temperatures (5 and 10°C) through the analysis of the bionomic survival, longevity, number of ovos.fêmeas-1 and viability (%) eggs. The experiment was conducted at the Laboratory of Insect Biology, Federal University of Pelotas, and the achievement were maintained colonies of both species, pre-established laboratory conditions (temperature 25+2°C, relative humidity 70+10%; photoperiod of 12 hours). We randomly selected 15 pairs/species/repeat, and packaged in glass bottles, with three replicates/treatment. All repetitions were simultaneously placed in a chamber of biological development (B.O.D.) at temperatures of 5, 10 and 25+2°C (control) and is the factor A (temperature controlled conditioning of adults). The flies were removed from B.O.Ds. 7, 14, 21, 28, 35 and 42 days, constituting Factor B (exposure time of adult B.O.D.), proceeding in the measurement cages and packaging, the survivors of the respective temperature of 25+2°C, to the death of the last diptera, analyzing longevity, the average number of ovos.fêmeas-1 and viability (%) eggs. The results were statistically analyzed with the purpose of observing whether each temperature controlled conditioning of adults was limiting within each exposure time of adults in B.O.D. Thus we can infer that the use of low temperatures (5 and 10°C), in order to reduce metabolic rates and the development of these insects in adulthood, was a strategy that interfered on bionomic aspects analyzed for the two species under study. In conclusion: The temperature controlled exposure of adults 5°C prevents the creation of C. megacephala; The utilization of low temperature conditioning (5 and 10ºC) is a strategy that impacts negatively on the survival of adults (males + females), female survival, male survival, longevity, the average number of ovos.fêmeas- 1 and viability of eggs of M. domestica and C. megacephala when compared to a temperature of 25+2°C. The time of exposure of adult M. domestica and C. megacephala in B.O.D. for 7 days, allows the occurrence of overall survival (females + males), female survival, male survival, longevity, higher average number of ovos.fêmeas-1 and egg viability; The number of adult female survivors of M. domestica exposed to low temperatures conditioning (5 and 10°C) is numerically more significant, the number of male survivors.
Palavras-chave: bionomia
condicionamento
estocagem
bionomics
conditioning
storage
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::PARASITOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Pelotas
Sigla da Instituição: UFPel
metadata.dc.publisher.department: Biologia
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Parasitologia
Citação: ROSENTHAL, Luciane D'avila. Influência de baixas temperaturas sobre aspectos bionômicos de Musca domestica (Linnaeus, 1758) (Diptera, Muscidae) e Chrysomya megacephala (Fabricius, 1794) (Diptera, Calliphoridae). 2012. 153 f. Dissertação (Mestrado em Biologia) - Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2012.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/123456789/2314
Data do documento: 15-Mar-2012
Aparece nas coleções:Pós-Graduação em Parasitologia: Dissertações e Teses

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
dissertacao_luciane_rosenthal.pdf1,1 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.